Emprego e renda numa época de crises, assim é Barretos

Emprego e renda numa época de crises, assim é Barretos

uol

A Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos (424 km a noroeste de São Paulo) anima não só o público que assiste aos rodeios, mas também é motivo de comemoração para empresários e trabalhadores locais. O tradicional evento injeta mais de R$ 200 milhões na economia regional, segundo estimativa dos organizadores.

Esta é a 54ª edição do evento, que neste ano vai de 20 a 30 agosto. Apesar da crise econômica global, o investimento direto só na organização da festa aumentou para R$ 15 milhões —um acréscimo de 25% em relação aos R$ 12 milhões gastos no ano passado.

Apenas um dos eventos previstos, a Copa do Mundo de Montarias em Touro, vai custar R$ 1 milhão. Pela primeira vez realizada no Brasil, a copa envolverá cinco países —Canadá, Estados Unidos, México, Austrália e Brasil. A competição está programada para o último fim de semana da festa (28 a 30 de agosto).

Além disso, os empregos diretos tiveram uma alta expressiva de 66%, indo de 3.000 no ano passado para 5.000 neste ano. Eles representam um reforço na área de segurança, limpeza e orientação, diz Jerônimo Luiz Muzetti, presidente da associação Os Independentes, que promove a Festa do Peão.

Mais 15 mil empregos são gerados indiretamente, de acordo com Muzetti, criando um total de 20 mil vagas.

O rodeio cria várias oportunidades. O recepcionista de hotel Marco Túlio Marques aproveita o evento para faturar um dinheiro a mais, usando a sua segunda profissão, a de DJ. “A festa ajuda todo mundo”, afirma.

Está sem companhia para ir a Barretos, procure no twitter, muitas pessoas estão animadas para festa.

Anúncios